75 ações para estudar pelo Método INI

Posted on 02/01/2012. Filed under: Finanças |

Caros leitores,

Feliz 2012 a todos.

Nesse início de ano tento prestar um serviço educacional a todos nós.

A partir dos dados fornecidos ao INI pelo site ComDinheiro, filtrei 75 empresas que apresentaram alguma regularidade em seus fundamentos nos últimos anos.

A planilha calcula o crescimento passado dos fundamentos (Receita, Dividendos e Lucro) e os múltiplos (P/L, DY e Payout) das companhias.

A partir de algumas premissas de futuro imputadas pelo próprio usuário, será possível ter uma dimensão das perspectivas das empresas estudadas.

Para quem já conhece o método INI

Para quem está habituado, a planilha é muito simples. Na aba “Premissas”, será necessário indicar suas perspectivas, visando o ano de 2015 (5 anos a partir do último ano de demonstrações financeiras completa – 2010) para:

  • o intervalo de P/L (máximo e mínimo),
  • o crescimento dos principais fundamentos (Receita e Lucro)
  • a estimativa de payout.

Minha sugestão é que escolha a empresa a estudar e tente ler os últimos releases de resultado (direto no site da companhia). Só após, indique suas permissas para 2015.

Assim que tivermos todos os dados de 2011 (4T11), refarei a planilha para o período 2011-2016.

Para quem não conhece o método INI

Nesse caso a planilha fica menos “clara”. Sugiro que tente ler os posts que escrevi sobre o método INI (no Blog do Portinho e no Blog do INI www.ini.org.br).

Ainda assim, caso entenda de alguns conceitos fundamentalistas, dá para trabalhar algo na planilha mesmo sem ter experiência no Método INI.

ATENÇÃO!!!

O Método INI não tem nenhuma função no curto prazo. Não diz respeito a condições especulativas, apenas a expectativas sobre os resultados das companhias (lucro, dividendos e receita) e mercado (P/L máximo e mínimo). E tudo com horizonte mínimo de 5 anos.

A maioria das carteiras recomendadas trabalham com horizontes mais curtos (1 semana, 1 mês ou 1 ano). Isso nada tem a ver com o método INI.

O Método INI é um guia eduacional, que requer revisão a cada divulgação de resultado das companhias.

Empresas com prejuízos recorrentes ou histórico pouco consistente não atenderão aos filtros do Método INI. Isso não significa que não possam ter bons resultados na bolsa.

A Planilha

Os valores históricos e os cálculos relativos a estes foram tratados com o maior cuidado possível, porém é possível que haja erros. Peço aos leitores que indiquem na linha de comentários caso identifiquem algum erro. Se for mesmo erro, conserto e posto a planilha nova, se não for, explico nos comentários.

Quanto às premissas de futuro colocadas na planilha, não representam um julgamento aprofundado sobre as perspectivas das empresas, são apenas estimativas baseadas no senso comum, tais como:

  • Não estimar intervalos de P/L muito elevados para o futuro.
  • Não estimar crescimento exagerado para o futuro.

Os resultados só vão ser realmente relevantes após um estudo feito pelo próprio leitor, colocando premissas em que ele mesmo acredita.

Comentários são bem vindos. Quem quiser comentar a respeito de suas avaliações das companhias em questão, será muito bem vindo. Ficarão registrados no blog.

Comece 2012 estudando sobre as companhias em que investe ou em que quer investir. Seu patrimônio agradece!

Para baixar a planilha clique em:

Método INI 02.01.2012 – 75 empresas para estudar

Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

37 Respostas to “75 ações para estudar pelo Método INI”

RSS Feed for Blog do Portinho Comments RSS Feed

Portinho:
Por favor, esclareça uma dúvida que eu tenho: essas empresas (as 75) que você sugere do site comdinheiro são as que servem para investir segundo o método do INI; quer dizer então que as outras listadas na bolsa não servem para investir por esse método, está correto a minha conclusão?

Oi Ricardo,
As 75 empresas tiveram crescimento em lucros e vendas, algumas tiveram crescimento elevado,outras mais baixo. O filtro é somente quantitativo, não qualitativo.
A planilha mostra algumas empresas boas para estudar, não necessariamente para investir. Só se deve investir em Cias que conhecemos, que estudamos.
Há outras empresas que não passaram no filtro que poderiam ser estudadas, mas para elas haveria problemas didáticos. Ou falta de dados, ou histórico irregular etc. Só seria possível avaliá-las pelo Método INI com mais experiência na ferramenta.
[]
Portinho

Prezado Portinho:
Gostaria que me explicasse porque o papel Multiplus on (MPLU3) não se encontra na lista das 75 empresas, uma vez que a mesma possui margens elevadas, EBITDA em torno de 30% e margem líquida acima de 25%, tem baixa necessidade de capital, além de uma posição confortável de caixa, o que a torna uma boa pagadora de dividendos, em 2011 a empresa distribuiu dividendos na ordem de R$750 milhões , o que representa 13,5% de dividend yield e em janeiro já distribuiu mais R$260 milhões, por volta de 5% de DY, além de contar com um caixa de R$1 bilhão; não seria esta uma boa empresa para investir pelo método INI?

Oi Ricardo,
A Multiplus e muitas outras empresas, algumas ótimas mesmo, não estão na lista por não serem bom material para estudo.
O objetivo da planilha não é indicar boas ou más companhias, mas sim dar subsídios aos usuários do Método INI para compreender melhor os parâmetros envolvidos na seleção de Cias abertas.
Espera-se, mesmo para não usuários, que ao se deparar com uma empresa com boas perspectivas o leitor vá lançar mão de outros instrumentos (qualitativas e quantitativos) para ver se concorda com as premissas de futuro para a Cia.
A Multiplus não está lá pela falta de histórico, o que a torna uma Cia difícil do ponto de vista didático, apenas isso.
Abraço,
Portinho

Prezado Portinho:
Gostaria que me explicasse o seguinte: Na planilha das 75 empresas que você disponibilizou para estudar verifiquei que a empresa Gafisa (GFSA3) sugere-se que o GWT Preço dela é de 281,3% o que foi confirmado pelas minhas análises que deram em torno de 303%. No entanto, em reportagem ontem (02/04/2012) da Valor Econômico informa que esta empresa vai encolher tanto em 2011 quanto em 2012 devido ao seu prejuízo e à sua dívida, já o executivo dela optou em 2012 encolher para compatibilizar a sua dívida. Como explicar, portanto, então essa inconsistência? Se eu tivesse investido nessa empresa você sugeriria vender esse papel?

Oi Ricardo,
As Companhias da planilha tinham histórico regular de crescimento e não apresentavam preço/lucro exagerado, por isso apareceram no filtro e foram indicadas para estudo.
No estudo, a GAFISA teria demonstrado os sérios problemas que vem tendo com a incorporação da Tenda, atrasos e critérios frágeis para aprovação de compradores.
Isso, seguramente, comprometerá os resultados futuros da companhia, como ficou evidente na divulgação, com atraso, do balanço e da DRE (não auditados) e também pela declaração dos administradores.
O encolhimento da companhia pode ou não ser ruim para o lucro da mesma. É preciso acompanhar de perto, ler os releases e decidir se confia na recuperação da Cia.
Abraço,
Portinho

Prezado Portinho:
Estou estudando e compreendendo aos poucos o método principalmente através do software que é disponibilizado no INI, mas gostaria de ter alguém mais experiente que me orientasse para saber se minhas análises estão corretas. Também, se for possível, gostaria da vossa orientação de quais empresas inicialmente investir, pois 75 é uma grande quantidade, algo como em torno de 10, 15 para você decidir quais entrariam na carteira que quero formar.

Oi Ricardo,
A planilha que apresentei apenas indica ações para estudo. Realmente não faz sentido ter 75 ações na carteira, pois seria muito difícil acompanhar seus resultados, suas publicações etc.
Em breve vou atualizar a planilha.
Quanto ao resultado de suas análises, vale comparar com a planilha. A planilha assume premissas que misturam bom senso e conservadorismo. Não que estejam certas ou erradas, mas evitam exageros, para cima ou para baixo.
Não se deve levar as premissas como “verdade” ou como “projeção”, apenas como guias para o aprendizado.
[]
Portinho

Ola Portinho…
Estou aos poucos conhecendo esse método.. se possívelm quando vc passar as ações para estudar no mês de Abril, vc pode passar um legenda para entender cada coluna ?

Abraços

Oi Ricardo,
Vou atualizar na próxima semana, com os dados completos do ano de 2011.
[]
Portinho

Prezado Portinho:

Favor me explicar o que significa na planilha GWT Preço e o que ele significa para o método INI

Obrigado pela atenção

É growth (crescimento). Desculpe, foi falha minha, não deveria ter usado uma expressão em inglês. Na próxima, no começo de abril, acerto isso.

Prezado Portinho:
A título de orientação para investir já que sou novato e não sei em que ações investir, peço a sua ajuda no sentido de que você indicaria que devo investir: 1) no universo dessas 75 empresas que foram selecionadas ou teriam outras mais;
2) como montar a carteira das empresas selecionadas, ou seja, quantas em média (5, 10, etc) e seriam diversificadas por setor de atuação?
3) as outras empresas de capital aberto da bolsa que não figuram nesse estudo seriam então descartadas?

Favor peço a sua orientação, pois estou feito cego em tiroteio!

Oi Ricardo,
Não fique preocupado, leva tempo para se habituar com o investimento em ações.
AS 75 são escolhidas entre 202. São as que tiveram resultados mais consistentes. Não são as melhores ou piores, mas as que podem ser utilizadas no método INI.
A idéia é montar uma carteira com um número de ações que você possa acompanhar. Não a cotação, mas os resultados trimestrais e fatos relevantes. Comece devagar e, em pouco tempo, já terá intimidade com as ações.
As outras empresas não passam nos critérios do método INI. Nem sempre por serem ruins, mas por terem histórico inconsistente OU insuficiência de dados.

Portinho:
Como faço para “rodar” o método INI com a CIELO, pois no Guia Inicial de Avaliação solicitam-se o valor das vendas líquidas e do lucro por ação dos últimos 5 e 6 anos. Também gostaria da sua assessoria a respeito da Petrobrás que figura nas 75 empresas. No entanto, quando rodei o método ini ele deu uma taxa equivalente de crescimento de 6,14 e do LPA negativo. É possível escolher mesmo assim a Petrobrás?

Oi Ricardo,
O método INI usa o passado para duas coisas:
– Verificar se a companhia teve crescimento robusto nas vendas e nos lucros.
– Verificar o histórico da relação preço-lucro das companhias.
A partir desses valores, o usuário vai estimar os crescimentos futuros dos lucros E o intervalo de P-L máximo e mínimo, para os próximos 5 anos.
Se, no caso da CIELO, você colocar intervalos de P-L semelhantes aos dos bancos (de 7 a 13) e estimar um crescimento de acordo com o previsto pelo mercado ou próximo ao histórico (sendo realista, algo como 8% a 12%), você terá suas respostas.
No caso da Petrobras, a queda no LPA é explicada pela enorme diluição provocada pela capitalização. Mesmo com lucro total em alta, o acionista perdeu 40%.
Infelizmente isso a deixou complicada para o método. Mas basta seguir as dicas para a CIELO. Sugira um intervalo de P-L e um crescimento modesto.
Estude a planilha e você entenderá essa questão. Verá que, mesmo para companhias com P-L alto, é prudente estimar um intervalo mais modesto.

Prezado Portinho:
Gostaria da sua orientação a respeito da ação da Cielo (CIEL3) se vale a pena investir, tendo em vista que na tabela TIB ela só consta a partir do exercício de 2008 e pelo método do INI estaria fora, uma vez que não consta em um horizonte histórico de no mínimo 5 anos. No entanto, a minha corretora faz a sugestão na carteira constar essa ação

Oi Ricardo,
É possível, mesmo com poucos anos, utilizar o método INI. Deve ficar atento para as estimativas de P/L futuro e para lucro futuro.
Se sua corretora puder compartilhar as premissas que usou, seria ótimo. Caso contrário, não há como saber de onde vem a indicação.
Tente “rodar” o método INI com a CIELO. Caso tenha dúvidas, procura a empresa nas 75 que sugeri para estudo.
[]
Paulo

Prezado Portinho. Fiquei muito interessado com o método INI, mas ainda não estou familiarizado com o método. você poderia me dizer onde exatamente posso encontrá-lo. É suficiente o software disponível no site do INI que faz as análises das empresas ou existem mais coisas para analisar. Favor me orientar nesse sentido,
Muito Obrigado.

Oi Ricardo,
No meu blog e no blog do INI há muitos artigos sobre o Método.
Minha sugestão é lê-los. Se quiser, o manual original está disponível para download no site do INI. Está um pouco desatualizado.
O INI está desenvolvendo um novo software, que deverá ficar pronto em breve. É o mesmo método, mas com tecnologia de programação mais avançada.
A investigação da planilha que enviei já traz alguma luz sobre o método.
[]
Portinho

Oi portinho…. Onde tem um site legal, para pegar os históricos dos balanços das empresas e assim analisar ?

Abraços

Oi Ricardo,
Organizado assim, só conheço o site do INI. http://www.ini.org.br
[]
Paulo Portinho

Prezado Portinho,
Sigo aprendento bastante com sua planilha, incorporando conhecimentos sobre regressão linear.
Nas últimas semanas, li algum material do site “Conscious Investor” (ciapproach.pdf, disponível para livre download).

O método muito se assemelha ao do INI, com estimativas sobre o crescimento futuro do Lucro Líquido e a faiaxa de P/L Max e Min a considerar.

O que me chamou a atenção foi a importância atribuída à estabilidade da evolução da Receita Líquida e do Lucro Líquido. O referido site recomenda selecionar ativos com elevada estabilidade destes parâmetros.

A partir de sua planilha, com esses valores transformados em logarítimos, apliquei a função Coeficiente R2 sobre as duas séries LOG.

Algumas empresas apresentam um valor acima de 0,85 para ambos os parâmetros, por exemplo ( BBDC4, TOTVS, CYRE3, LREN3, etc).

Poder-se-ia considerar esta estabilidade para manter a confiança do valor do crescimento futuro com base no crescimento passado.

Forte abraço,

Fabiano C.

Corretíssimo. Só não chamaria de estabilidade do crescimento, pois podem ser considaradas palavras antagônicas, chamaria de consistência no crescimento.
É um dos mais importantes fatores.
Naturalmente não garantem o futuro, mas deixam um bom sinal sobre a capacidade da administração.
O uso da correlação funciona bem para identificar a consistência no crescimento.
Da última vez que avaliei esse parâmetro a Itaúsa e a Livraria Saraiva estavam em primeiro lugar.
Abraço,
Portinho

Ola Portinho….
Muito legal seu blog… Ja li tbm seus 2 livros, e agora estou associado ao INI, ”Formando investidores conscientes” !!!
E agora vou me familiarizar ao método INI, pois tbm quero ser um investidor inteligente… Comprei minha primeira ação esse mês… e espero com o método e as filosofias do INI, poder ser o Arnaldo do futuro… rsrsrss

Abraços

Oi Ricardo. Seja bem vindo.
Há muito material sobre o Método INI por aqui.
O importante para ser um “Arnaldo” é disciplina e método.
Abraço!
Portinho

Portinho, parabéns pela planilha. Não sou muito familiarizado com o método INI. Vc poderia enviar um glossário com as abreviaturas utilizadas? Algumas são óbvias, como R, LL, Div, mas outras não, como PMx, PYT, PLMn… desde já grato!

Oi Rodrigo,
Vou publicar aqui o glossário. Vamos lá:
R – Receita
LL – Lucro Líquido
PMx – Preço Máximo ajustado (apenas por variações na base acionária).
PMn – Preço Mínimo ajustado
Div- Dividendo
LN – Logaritmo natural
AVG – Average – Média
PYT – Payout
Ups/Dwn – Upside downside ratio – Medida de risco do método INI.
DY – dividend Yield
abraço!

Prezado Paulo
Motivado pelo seu blog estou entrando também no INI
Achei os comentários do Fabiano muito válidos, e acrescento uma variável que -posso estar enganado- fundamental para saber com qual empresa estamos lidando. É a liquidez do papel

Por exemplo, um papel como PRBC4, que parece interessante…. tem volume de 2 negócios por dia. Ficamos muito voláteis a manipulações.

Peço seu comentário
Ronald

Oi Ronald,
Concordo. Mesmo em empresas maiores é difícil comprar ou vender quando a liquidez é baixa (Forja Taurus, por exemplo).
[]
Portinho

Portinho, poderia explicar o que signficam as colunas “Ups/Down” e “GWT Preço”? E se o “Ganho Total” considera apenas a expectativa de ganho de capital em função das premissas adotadas, ou se também considera a distribuição de proventos, tendo em conta o DY (que se não me engano é real, em função dos números recentes)? Por fim, a estimativa desse “Ganho Total” é anual, ou para o período de 5 anos? Se anual, nesse caso a expectativa para a Vale, em função das premissas, é de quase 40% ao ano? É isso mesmo?

Oi Mário,
No Método INI Upside downside é a medida de quanto o “espaço” para subir é maior do que para cair. Quanto maior melhor. O GWT preço é crescimentod a cotação. O método INI acumula os dois crescimentos (div + preço).
O ganho é anual. A Vale, com os parâmetros utilizados, teria esse potencial. Mas para essas premissas apenas. Se o crescimento do lucro for menor e o intervalo de P/L mais modesto, a Vale ganhará menos.

Portinho,

Os dados das empresas são atualizados até 30/09? Os resultados do final do ano não sai por volta de fevereiro?

Grato,
Sir Income
http://sirincome.blogspot.com/

Sim, até 30/09. Exceto o preço que é do dia 29/12 ou 30/12.
O que o método INI prega é o acompanhamento, ao menos, trimestral dos resultados.
Assim que saírem os resultados tentarei atualizar a planilha.
Abraço e obrigado pela visita.

Portinho,

Obrigado pela resposta.

Abraços,
Sir Income
http://sirincome.blogspot.com/

Prezado Portinho,

Considerando os reveses sofridos por companhias expressivamente alavancadas em 2011, apresento a sugestão de incluir em algum material (inclusive na TIB) algumas informações sobre a alavancagem como Dívida Bruta sobre PL, Dívida Líquida sobre o PL e Cobertura de Juros.
Ocorreu-me também de fornecer alguma referência na TIB, como por exemplo:
Dívida Bruta sobre PL (ações relacionadas no Ibovespa), Dívida Bruta sobre PL (ações do setor);
Dívida Líquida sobre PL (ações relacionadas no Ibovespa), Dívida Líquida sobre PL (ações do setor);

E algum múltiplo relacionado à Cobertura de Juros (EBIT sobre Dívida Bruta ??).

Assim, o assinante teria mais uma referência para analisar junto aos que foram relacionado no seu post.
Forte abraço.

Fabiano Cantarino

Oi Fabiano,
O Método em si não utiliza esses parâmetros, mas concordo que são muito úteis, principalmente se puderem ser comparados aos do setor ou do mercado.
No INI há estudos para lançar uma ferramenta mais completa, com definição metodológica precisa para esses fatores, porém esbarramos na falta de recursos.
Há expectativa de lançarmos uma nova TIB ainda no primeiro semestre de 2012. Estamos trabalhando para isso. Vou anotar suas sugestões para inserir o que for possível na TIB.
Abraço e grato pela visita,
Paulo Portinho


Where's The Comment Form?

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: