Resultados 2010 Clube Stratocaster – Atualização dos P/Ls da Carteira

Posted on 03/01/2011. Filed under: Finanças |

Aos cotistas do Clube de Investimentos Stratocaster, envio um resumo de nossa carteira com os P/Ls atualizados das companhias.

Nosso clube teve uma boa rentabilidade em 2010 (13,93%), mesmo com os elevados custos de administração (a taxa que a corretora nos cobra é de 3%).

Foi um ano atípico, pois a Petrobras teve uma queda muito forte o que segurou bastante o índice. Dessa forma, não considero “bater” o índice um feito tão relevante.

Basta ver o ranking dos fundos de ações no site da ANBIMA, há uma boa quantidade deles com rentabilidade superior a 20% no ano.

A média dos fundos livres de ações, segundo a própria ANBIMA, foi de 11,43% no ano de 2010. Bem superior à média dos fundos indexados ao Ibovespa (-0,67%).

Para baixar os arquivos com as rentabilidades dos fundos (consolidado e por fundo), clique nos links abaixo:

Fundos de Ações – Ranking – Novembro 2010

Fundos – Consolidado (28/12/2010)

A carteira do clube e os P/Ls

Aos não-cotistas, vale lembrar que a carteira a seguir atende aos objetivos muito específicos do nosso clube, que é cumprir o que manda o método INI (ver posts anteriores).

Em resumo, as ações a seguir não são, de forma alguma, as melhores ou as “apostas” que temos para o ano.

Ressalto também que há 2 empresas com P/Ls atipicamente baixos, mas há itens não recorrentes nos lucros. Leia nos posts anteriores sobre Eletropaulo e Coelce.

Inexplicável…

Falando aos cotistas, houve um fenômeno inexplicável (até o momento) com a MARCOPOLO ON. A ação chegou HOJE a R$ 7,15, com 19% de alta. Passou até o valor da PN, o que é muito atípico.

Como o volume continuava baixo, e por via das dúvidas, realizei um pouco (1/4 da carteira de POMO3) a R$ 6,50.

Se for algum insider operando, ainda temos 75% da carteira para ganhar com o fato. Mas se for só boato, pelo menos uns 8% conseguimos no dia.

Estranhíssimo. Cheguei a pensar que alguém errou o dedo e saiu comprando POMO3 em vez de POMO4, mas vamos esperar…

Nossa carteira, em ordem alfabética:

Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

3 Respostas to “Resultados 2010 Clube Stratocaster – Atualização dos P/Ls da Carteira”

RSS Feed for Blog do Portinho Comments RSS Feed

[…] Resultados 2010 Clube Stratocaster Atualização dos P/Ls da Carteira […]

Olá,portinho,
tenho algumas dúvidas quanto às escolhas das empresas que compõem a carteira do Clube Stratocaster. Comecei recentemente a estudar o método INI e não entendi algumas seleçoes :
– As elétricas são empresas de crescimento?
– a Ecodiesel não teve muitos prejuízos recentes para ser considerada de crescimento?
– A Eztec não tem poucos anos na base de dados da TIB para apresentar segurança que é de crescimento.
– As Forjas Taurus não apresenta baixo nível de governaça corporativa?
desculpa o número de dúvidas e grato pela atenção.

Oi Gustavo,
Agradeço a pergunta. É muito importante poder elucidar temas sobre o método INI.

Há alguns pontos a considerar, antes de tratar especificamente das empresas:

1- O Método INI sugere compra de empresas de crescimento, mas ao final calcula qual delas é a “mais barata” ou “menos cara”. Isso significa que ele é capaz de ajudar a saber se VALE5 a R$ 52,30 é melhor ou pior que PETR4 a R$ 27,50. O método alia “crescimento” e “valor” ao fazer isso.

2- Mesmo empresas que distribuem todos os dividendos podem apresentar crescimento, caso o mercado em que estejam inseridas cresça significativamente.

3- O Método INI não funciona como método de gestão de carteira de ações, apenas de seleção de empresas de crescimento “baratas”. Dessa forma, ele vai ajudar a selecionar as empresas, mas não a compor a carteira quanto à diversificação e quanto aos objetivos de riscoxretorno do clube.

4- Por fim uma dica valiosa sobre o método. Não se deve descartar uma empresa com passado e perspectivas modestas de crescimento (entre 6% e 12% ao ano) sem fazer o método TODO. Isso porque haverá ainda 2 fatores indicativos da atratividade do ativo: a perspectiva de P\L para o futuro e o Dividend Yield. Não é raro encontrar empresas com perspectiva de crescimento de 8% ao ano em cotação, mas de 20% quando se une cotação + reinvestimento de dividendos.

Falando das empresas:

1- Elétricas. Algumas elétricas estão mesmo estagnadas, mas as 3 que temos na carteira (GETI, ELPL e EQTL), cada uma com sua característica, têm apresentado bom crescimento (entre 6% e 15% ao ano em receita e mais de 20% em lucro). A EQTL entrou na carteira por esse motivo, mas principalmente por conta da cisão que nos deu a Redentor (já vendida). A queda na receita e nos lucros da EQTL é explicada diretamente pela cisão da empresa.
A ELPL entrou por conta de seu P/L (3,5 a 4).

2- A Ecodiesel entra na estratégia do clube de manter até 10% do patrimônio em ativos de elevado risco, pois a perspectiva de retorno também é mais elevada. Mas não é possível avaliar a empresa com o método INI. Seria descartada imediatamente. É bom que protege o investidor menos experiente.

3- A EZTEC tem quase 5 anos de dados de balanço à disposição e quase 4 de histórico de cotações. Não é possível passar pelo GUIA INICIAL do INI, mas dá para ir direto para GUIA PRINCIPAL. Só é preciso tomar cuidado, pois os P/Ls anteriores são altíssimos. Não pode pegar a média dos últimos 5 anos para estimar os P/Ls dos próximos 5 anos, é preciso ajustar para a média de mercado.

4- FJTA não está em nenhum nível de governança (como muitas empresas boas, inclusive a Petrobras). Isso se reflete em relatórios menos completos e com menor periodicidade. Isso é bem chato mesmo. Os relatórios do 3T e do 9T são muito fracos. O ponto mais importante da governança, para nós minoritários, é o Tag Along, que a FJTA não tem. Isso é um risco, mas a estrutura de acionistas ordinários não indica que os preferencialistas seriam colocados em desvantagem. Outro ponto importante é que o quinto princípio do INI (que só existe no Brasil) não é excludente, é apenas uma recomendação. Mas confesso que ficaria mais tranquilo se a FJTA adotasse o Tag Along. Vi o que aconteceu com o pessoal da Aracruz, e foi muito feio.

Abraço e fique sempre à vontade para colocar suas dúvidas,
Portinho


Where's The Comment Form?

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: