Archive for outubro \29\UTC 2010

Usiminas – Resultados 3T10

Posted on 29/10/2010. Filed under: Finanças |

A Usiminas está um pouco melhor do que estava em nosso último post, há alguns meses.

Lembro de ter escrito algo como recomprá-la entre R$ 38,00 e R$ 40,00 (em preços de hoje, pós desdobramento, R$ 19,00 e R$ 20,00). Chegou lá, ao menos a USIM5 PN.

O release de resultados é muito claro e simples, e pode ser lido aqui.

A Análise feita pelo BB-BI (no site do INI) pode ser lida aqui.

Alguns comentários importantes:

Movimentação atípica ON e PN

  • Os movimentos da ON e da PN estão indicando uma valorização muito expressiva da primeira. É algo para se ficar atento, pois a PN paga 10% a mais de dividendos/JSCP e a ON está 15% mais cara. A Usiminas NÃO TEM TAG ALONG, ou seja, se houver troca de controle, não será obrigatório estender 80% do valor pago aos detentores de PN.
  • As ON têm apenas 23% de free float, enquanto as PN, 89%. Pela leitura da lista de majoritários, não é possível ver alguém que pudesse querer sair do controle. São fundos de pensão e conglomerados japoneses. Talvez o grupo Votorantim possa sair, mas não impactaria tanto as ON, pois não seria troca de controle.
  • Em resumo, não há qualquer evidência firme, talvez boatos, que sustente essa diferença entre ON e PN. Mas é algo para acompanhar.

Conjuntura

  • Apesar do bom momento da economia brasileira, o dólar desvalorizado tem prejudicado demais os negócios da Usiminas, isso porque ela tem que concorrer com importados bem mais baratos e de boa qualidade.
  • A Importação de aços planos atingirá nível 160% maior do que no ano passado. Isso compromete bastante a indústria nacional.

Resultados

  • A empresa depende muito pouco do mercado externo, o que seria ótimo, caso o câmbio favorecesse a indústria nacional.
  • As margens melhoraram muito em relação a 2009, mas estão aquém dos recordes anteriores da companhia.
  • A Usiminas vendeu menos, mas seu lucro melhorou por questões ligadas ao câmbio.

Resumindo…

A Usiminas perdeu uma das características que eu mais gostava, o baixo endividamento. Endividamento líquido ZERO.

Quando houve a decisão de se alavancar, achei interessante, pois os lucros poderiam subir mais rapidamente, mas não foi isso que aconteceu.

Na página 5 do release fica claro que a empresa adotou uma política de endividamento mais agressiva, culminando, no 4T09 com uma relação dívida/caixa de 1,9.

Para quem, no 4T07, apresentou uma relação de -1,0 (dívida líquida negativa), é uma mudança e tanto.

A seguir os dados de resultado e principais múltiplos:

Ler Post Completo | Make a Comment ( 4 so far )

Bradesco – Resultados 3T10

Posted on 29/10/2010. Filed under: Finanças |

O Bradesco divulgou um resultado trimestral bastante expressivo, com recordes em praticamente todos os itens relevantes.

Mas ação caiu…

Aliás, a Vale também divulgou recordes. Só nos 3 primeiros trimestres de 2010 a Vale já atingiu um lucro maior do que o de 2008, seu recorde até então.

E a ação caiu…

Por quê?

Well, well, well.

Não se deve perguntar isso. O investidor consciente compra ações com foco nos resultados que a companhia apresenta. Os movimentos de curto prazo, normalmente, têm outros drives.

Voltando ao Bradesco.

O release pode ser lido aqui.

A Análise feita pelo BB-BI (no site do INI) pode ser lida aqui.

Não há muito o que colocar a respeito do resultado. Está bem dentro das expectativas.

O banco tem alguns pontos que considero positivos, no que se refere aos fundamentos e aos principais múltiplos.

  • O P/L está entre 11 e 13, bem abaixo do Itaú e um pouco acima do BB. Não é, em absoluto, um múltiplo elevado.
  • O dividend yield (DY) não é elevado como nas elétricas, mas tem se mantido acima de 3%, para quem comprou bem a ação. A diferença entre ON e PN, chegando às vezes a 25% dá uma boa oportunidade para receber DYs ainda maiores.

Não é necessário me estender muito sobre o texto. A leitura do release é bem simples.

Segue a tabela com os dados fundamentalistas dos últimos anos:

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Vale – Resultados 3T10 – Guia para Leitura do Release

Posted on 28/10/2010. Filed under: Finanças |

A VALE publicou seus resultados no dia de ontem, 27/10/2010, com recordes em, praticamente, todos os indicadores.

A Empresa, no acumulado dos últimos 12 meses, já ultrapassou seu lucro recorde de 2008 e está muito próxima ao recorde de Receita, também do mesmo ano.

O resumo do release de resultados é que a empresa vendeu mais, por um preço maior. Manteve o elevado nível de investimentos e reduziu os indicadores de dívida significativamente.

A seguir um quadro resumo com os principais números da empresa, nos últimos anos.

Mas lembre-se! Um investidor consciente deve LER O RELEASE e procurar entendê-lo. Para acessar, clique aqui.

Para acessar a análise feita pelo Banco do Brasil, clique aqui.

Tabela resumo resultados VALE (2006 – 3T10).


Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Ecodiesel – Atualizações 26/10/2010

Posted on 26/10/2010. Filed under: Finanças |

Caros membros do clube Stratocaster,

Nos últimos dias houve muita movimentação em torno da ECOD3, tanto no que se refere às notícias quanto à oscilação nos preços.

Chegou a subir 15% em um dia e cair 10% no dia seguinte.

Cabe relembrar os motivos que nos fizeram alocar 5% da carteira do clube em Ecodiesel:

  • Quando começamos a entrar, a empresa havia batido em R$ 0,70 – R$ 0,80, o que indicava um valor de mercado da ordem de R$ 500 milhões de reais.
  • Houve reestruturação da dívida e aporte de recursos.
  • A empresa começou a apresentar lucros, mesmo com a perda de importantes ativos e de selos sociais.
  • Os releases estavam claros e objetivos. Compartilhei dos drives da administração.
  • O mercado de Biodiesel, caso as metas do governo se confirmem, poderá crescer de 3 a 4 vezes em 5 anos (B20).

Os riscos mais graves:

  • O principal é quanto à viabilidade comercial, operacional e ambiental do Biodiesel. Ninguém pode afirmar que o combustível será, realmente, um substituto/complemento viável para o derivado do petróleo. Há relatos de problemas sérios com motores sujeitos à biodiesel por muito tempo e por muitos quilômetros.
  • O insumo principal (por enquanto, soja) atingir preços proibitivos. Nesse caso, ou a empresa para de produzir, ou produz com prejuízo.

Para ler mais sobre os motivos, sugiro clicar aqui e aqui.

Os rumores podem ser lidos aqui e aqui.

Não há qualquer informação que permita fazer uma avaliação da nova empresa resultante da fusão da Ecodiesel e da Maeda.

A única informação financeira é, na realidade, uma tautologia (quando a resposta já está na premissa).

Dizer que a Ecodiesel avaliou a Maeda em R$ 320 milhões, o que representaria 30% da nova sociedade (para alguns 33%) significa dizer que a nova sociedade valerá R$ 1,07 bilhão. Sendo R$ 750 milhões da Ecodiesel e R$ 320 milhões da Maeda.

Ora… R$ 750 milhões JÁ É o valor de mercado da Ecodiesel.

Em resumo, essa informação não significa nada, na prática. É mais uma “conta de chegada” que uma informação, propriamente dita.

Será necessária aguardar os desdobramentos para poder avaliar o impacto da fusão.

O melhor dos mundos para a Ecodiesel seria:

  • Ter acesso a matérias-primas mais baratas
  • Receber aporte para consolidar-se em áreas onde haja menos restrições para os selos sociais

Para saber se esses itens (e outros) serão contemplados, só com mais informações e com o balanço da Maeda.

De qualquer forma, é sempre bom que alguns bilionários entrem na empresa…

Se fosse o Eike, já estaria valendo R$ 10 cada ação… rsrsrs

Ler Post Completo | Make a Comment ( 3 so far )

Revista Canadense sobre o Método INI

Posted on 26/10/2010. Filed under: Finanças |

Caros Leitores,

Meu amigo John Bart, presidente da Associação de Investidores do Canadá, disponibilizou uma de suas publicações sobre o Método INI (Stock Selection Guide) em um link no site do INI.

A publicação está em Inglês (ele é de Toronto e não de Quebec, thanks God) e mostra discussões muito ricas sobre grandes empresas americanas submetidas ao Método INI-NAIC, versão canadense.

Para quem é usuário do método INI, o mais fácil método fundamentalista de seleção de ações do planeta, é uma bela aula. Sobre o INI acesse www.ini.org.br.

Para acessar a revista ou fazer download, clique aqui.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 3 so far )

26/10 – Novas Análises do BB no site do INI

Posted on 26/10/2010. Filed under: Finanças |

O site do INI (www.ini.org.br) publica interessantes análises sobre os resultados das Cias Abertas brasileiras, feitas pelo setor de Análise do Banco do Brasil.

Em 26/10/2010 foram disponibilizados os seguintes links:

M Dias Branco – Resultados 3T10

Natura – Resultados 3T10

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Quase 40% de desconto no Buscapé!

Posted on 25/10/2010. Filed under: Administração, Finanças |

Um leitor do blog indicou uma promoção realmente interessante para comprar o livro “Quanto Custa Ficar Rico?“.

Não sei por quanto tempo vai durar, mas eles estão vendendo o livro com um desconto MUITO maior do que o concedido ao próprio autor (30%). É preciso usar o BUSCAPÉ e entrar na SICILIANO.

O livro que custa R$ 49,90 sai por R$ 31,52!!!!

Como autor que se preze gosta mesmo é de livro acessível, compartilho com vocês essa descoberta.

Os links:
http://compare.buscape.com.br/quanto-custa-ficar-rico-o-guia-definitivo-para-a-tao-sonhada-liberdade-financeira-paulo-portinho-8535239928.html

Caso não consiga pelo link acima, é melhor entrar no Buscapé e escrever o nome do livro. A livraria que está na promoção é a Siciliano.

Abraço!

Atualização das 19:00hs…

Acessando pelo buscapé (www.buscape.com.br) até o “Mercado de Ações em 25 Episódios” está numa promoção de quase 40% de desconto.

Recentemente o vi em destaque no Aeroporto Santos Dumont por R$ 64,90, na vitrine da Laselva.

Na Siciliano (através do Buscapé) está… R$ 36,50!!!

O Quanto Custa Ficar Rico? está R$ 31,52!!!

Que show!

Atualização do dia 28/10/2010

Acabou a promoção. Que pena…

Ler Post Completo | Make a Comment ( 3 so far )

Novidades e Leituras para o Final de Semana

Posted on 22/10/2010. Filed under: Finanças |

Caríssimos leitores,

O nosso livro “Quanto Custa Ficar Rico?” realmente desapareceu…

A Editora disse-me que está correndo para colocá-lo novamente nas lojas até o dia 02 de novembro. Torçamos, pois.

Há uma novidade interessante no blog, veja:

Email subscriber

Para os amigos que quiserem ser informados de novos posts, basta digitar o e-mail na parte superior direita do blog. Isso facilita bastante o caminho para quem quer acompanhar.

Posts recentes

Artigo sobre o livro Quanto Custa Ficar Rico?

Escrevi um artigo inédito para o blog “Quero Ficar Rico”, transmitindo alguns toques importantes sobre o livro. É curto e direto, vale a leitura!

O Mercado de Ações em 25 Episódios Detalhes e Sumário do livro

Atualizo os dados do meu primeiro livro pela Campus Elsevier. Para quem quer iniciar no mercado de ações, vale uma breve leitura no post.

Novas Análises do BB no site do INI

Revisão da Petrobras, início de Cobertura para JBS e para o Santander, resultados do 3T10 para Localiza. Análises linkadas ao site do INI (www.ini.org.br).

Participação no programa Sem Censura

Modernidades

Essa eu não vou nem contar… Leia, entre no link e acredite se puder!

Bônus de Subscrição Entendendo e avaliando BBAS13

Para quem não leu, vale relembrar…

Direto do túnel do tempo…

Como nem tudo é seriedade (nem eleição) nesse país, que tal ler alguns posts históricos..

Paulinho e Emerson – Revival

Para relembrar nossos quase 20 anos de carreira, dois posts com música e muito humor.

Aniversário do Emerson 2008

Esse é o clássico convite para o Aniversário do Emerson Ribeiro (Pepperband, Baú do Raul e outros). É longo, mas hilário.

Paulinho e Emerson novas músicas e release

Divirtam-se com versões de Amor de ìndio, Texas Flood e Queen, entre outras.

Bom final de semana. Estou de partida para Brasília.

É claro que não tem nada a ver com eleição. É educação financeira!!!!

Ler Post Completo | Make a Comment ( 2 so far )

Artigo sobre o livro “Quanto Custa Ficar Rico?”

Posted on 22/10/2010. Filed under: Finanças |

O excelente blog “Quero Ficar Rico” abriu um espaço para o livro “Quanto Custa Ficar Rico?” em suas páginas.

Escrevi um artigo inédito, com algumas novas visões sobre o livro.

Para quem quiser conferir, basta clicar aqui.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

“O Mercado de Ações em 25 Episódios” – Detalhes e Sumário do livro

Posted on 22/10/2010. Filed under: Finanças |

Alguns leitores do blog me perguntam sobre o primeiro livro que escrevi pela Elsevier, “O Mercado de Ações em 25 Episódios”.

Antes de tratar diretamente dele, alguns dados interessantes:

  • Até meados de 2010 já haviam sido distribuídos mais de 5.500 exemplares.
  • O livro figurou por algumas semanas entre os mais vendidos da livraria Cultura
  • A BM&FBovespa comprou 500 exemplares para distribuir em universidades

Veja a capa (com link para a livraria da Cultura):

 

Ver entrevista sobre o livro para a Investir Hoje WebTV:

 

Resumo básico sobre o livro:

É um conjunto de estudos, histórias e crônicas sobre a Bolsa Brasileira. Todos os “episódios” podem ser lidos de forma independente.

São cinco anos de estudos estatísticos, semânticos e matemáticos sobre o investimento em bolsa no Brasil. Praticamente todas as principais dúvidas dos investidores, iniciantes ou não, de certa forma são tratadas pelo livro.

Quais os principais temas estudados:

  • Aposentadoria com ações
  • Diferenças entre ON e PN
  • Estratégias simples para evitar o IR
  • Histórico do investimento em cias brasileiras
  • Principais eventos acionários, desdobramentos, bonificações etc.
  • Gestão de carteira para evitar erros primários em bolsa
  • P/L muito alto ou muito baixo, quais os cuidados necessários
  • A bolsa que nunca se recuperou: Tóquio 1989

Entre outros.

Por fim…

Esse livro destina-se a explicar, basicamente, dois pontos ainda obscuros sobre o mercado de ações. São eles:

  1. 90% do risco de investir em ações está no comportamento do investidor. Apenas 10% está no próprio mercado ou nas companhias investidas.
  2. Você sempre soube investir em bolsa de valores, mas a propaganda o convenceu do contrário.
Ler Post Completo | Make a Comment ( 40 so far )

Novas Análises do BB no site do INI

Posted on 20/10/2010. Filed under: Finanças |

O site do INI (www.ini.org.br) publica interessantes análises sobre os resultados das Cias Abertas brasileiras, feitas pelo setor de Análise do Banco do Brasil.

No site estão disponibilizados os seguintes links:

Início de Cobertura – Santander

Início de Cobertura – JBS

Revisão de Preço – Petrobras

Resultados 3T10 – Localiza

Ler Post Completo | Make a Comment ( 5 so far )

Participação no Programa Sem Censura – Segunda-feira dia 18/10 às 16:00, reprise a 1 da manhã

Posted on 18/10/2010. Filed under: Finanças |

 

O programa Sem Censura (TV Brasil) de hoje (18/10) vai tratar de consumo e poupança.

Fui convidado para tratar o tema,  junto com outros participantes, sobre o ponto de vista do que foi exposto no livro “Quanto Custa Ficar Rico?”.

Para quem quiser (e puder) conferir, o programa vai ao ar ao vivo das 16:00 às 17:30 e terá reprise a 1:10 da manhã.

 

Ler Post Completo | Make a Comment ( 5 so far )

Modernidades…

Posted on 17/10/2010. Filed under: Humor, Política |

Caríssimos leitores!!!

Desculpem invadir nosso espaço com algo tão inusitado.

Estou preenchendo o formulário para renovação de passaporte (www.dpf.gov.br) e acabei de perceber uma “modernidade”…

Agora podemos escolher entre 3 sexos: Masculino, Feminino ou Não Especificado.

Confesso minha ignorância sobre o assunto, mas cabe uma indagação de ordem prática.

Os outros países reconhecem esse sexo Não Especificado?

Aos progressistas de plantão, isso não foi uma crítica, no máximo uma declaração de absoluta ignorância sobre o assunto…

By the way, coloquei masculino… Espero não ter errado, vai que mudaram a definição…

rsrsrsrsrs

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Bônus de Subscrição – Entendendo e avaliando BBAS13

Posted on 13/10/2010. Filed under: Finanças |

Há pouco pouco mais de 1 ano escrevi para meu mail list e, posteriormente, publiquei no informativo do INI um artigo sobre os bônus de subscrição do Banco do Brasil (BBAS13).

À época eles estavam começando a se tornar um hit entre os investidores. E realmente tiveram bom desempenho, saindo de R$ 38,00 para mais de R$ 70,00 nos últimos dias.

Alguns leitores de então pedem para que atualize os dados, pois o bônus subiu muito recentemente.

Como nem todos leram, vale incluir o texto que ensina a trabalhar com os bônus, afinal o objetivo do blog é a educação financeira voltada para formação de patrimônio.

BÔNUS DE SUBSCRIÇÃO. VEJA COMO ENTENDER E AVALIAR UM CASO REAL BBAS13.

Muitos fundos e relatórios de análise, a partir do início de 2009, começaram a aparecer com um código diferente em suas carteiras recomendadas, BBAS13. Esse código refere-se ao Bônus de Subscrição do Banco do Brasil série C, lançado em 1996 e com vencimento no segundo trimestre de 2011.

Mesmo com tantas indicações de boas corretoras e casas de análise, o investidor pode se mostrar receoso, pois desconhece, ou conhece pouco, as ferramentas para avaliar a conveniência de se investir em um bônus, em vez de comprar ações diretamente.

Não é algo trivial, ainda mais em um bônus corrigido pelo IGP-DI com mais de 13 anos de vida, porém é algo que vale ser debatido.

Esses bônus podem representar uma opção ao investimento direto nas ações do BB, desde que se consiga calcular os riscos envolvidos. A seguir, algumas ferramentas simples para que o investidor consiga tirar suas próprias conclusões.

A história dos Bônus de Subscrição do BB, séries A, B e C.

Poucos lembram, mas o Banco do Brasil precisou de uma forte capitalização adicional em 1996, sob a proposta de fazer um ajuste no balanço, o que o levou a requisitar aos acionistas de então um aporte de capital.

Para estimular a participação dos acionistas, em 17/06/1996, os bônus de subscrição foram creditados na posição acionária de todos os acionistas do BB, na proporção de um bônus para cada ação possuída naquela data, conforme tabela a seguir:

À época funcionou, porém a circulação desses bônus acabou se tornando um obstáculo à valorização das ações do BB, pois o fantasma da diluição, através do exercício desses bônus, deixava os acionistas com receio.

Esse fantasma foi praticamente dizimado quando, em 2004, o BB fez uma oferta pública para retirada desses bônus do mercado. Com a adesão dos principais acionistas, Tesouro Nacional, Previ e BNDESPar, mais de 90% dos bônus foram retirados de circulação, fazendo cair significativamente os riscos de diluição aos acionistas atuais.

Explicando o que são esses bônus BBAS13

Bom, os únicos em circulação são os com vencimento entre 31/03/2011 a 30/06/2011.

Do início da circulação até hoje, as ações do Banco do Brasil sofreram algumas alterações.

Primeiro as ações PN foram convertidas em ON, dessa forma CADA BÔNUS que, antes, daria direito de subscrever 0,56067 ação ON e 0,43933 ação PN (total 1 ação), passou a dar direito de subscrever 1,043933 ação ON (BBAS3), pois havia um prêmio de 10% nas ações PN.

Ainda em 2007, houve um desdobramento na proporção de 1:3, SEM DESDOBRAMENTO DOS BÔNUS, o que significa que o direito de subscrever 1,043933 ação ON passou a ser de subscrever 3 vezes isso, 3,131799 ações ON.

Isso significa que o detentor dos bônus poderá comprar 3,131799 ações, a partir de 31.03.2011 e até 30.06.2011, ao preço de R$ 8,50 corrigidos pelo IGP-DI, um índice de inflação criado pela FGV em 1944.

Só para ter uma idéia de como funciona o bônus, pegue o último valor atualizado do preço de exercício, que é de setembro (aqui).

O valor corrigido daqueles R$ 8,50 era de R$ 27,74. As ações do BB estavam sendo negociadas em 13/10/2010 a R$ 34,85, logo 3,131799 ações valiam R$ 109,14.

Pagar R$ 27,74 para receber R$ 109,14 de valor não é nada mal…

Lembrem que os detentores dos bônus ou os receberam em 1996 e estão esperando por 13 anos, ou compraram no mercado secundário e tiveram que desembolsar um valor significativo para ter esse direito.

Das duas uma: ou ele esperou 13 anos, ou pagou pelo direito. Ambos os casos trazem seu próprio custo.

Quanto vale o bônus BBAS13?

É evidente que esse direito tem um valor econômico, mas quanto vale?

A resposta é simples: vale o que alguém está disposto a pagar, desde que tenha alguém interessado em vender por aquele preço. Em outras palavras… vale o que está no mercado!

É evidente que, como direito só poderá ser exercido em 2011, poderá haver um desconto para comprá-lo hoje. Veja o cálculo desse desconto a seguir:

  • Preço ação ON BBAS3 em 13/10/2010 R$ 34,85
  • Preço do bônus BBAS13 em 13/10/2010 R$ 72,50
  • Valor atualizado de exercício da subscrição em setembro (último disponível) R$ 27,74

Ora, para ter direito a comprar 3,131799 ações ON a partir de 31/03/2011 o investidor teria que pagar R$ 72,50 (pelo direito de subscrição) mais o valor atualizado do preço de exercício.

Em valores de outubro de 2010, se está falando de R$ 72,50 + R$ 27,74 = R$ 100,24

O valor das ações seria, em valores de 13/10/2010, 3,131799 x R$ 34,85 = R$ 109,14

O desconto seria de aproximadamente 8,2%.

Para esperar 6 meses até que 8,2% não é uma taxa de juros desprezível, dado que os juros da renda fixa estão na faixa de 8% ao ano, descontados os impostos e as taxas de administração.

Mas até 2011 tudo pode mudar. Como calcular os cenários?

Bom, a primeira questão a ser respondida é a seguinte:

O Investidor QUER comprar e manter ações do Banco do Brasil?

Se a resposta for positiva, ele pode passar à fase seguinte. Se não quiser ter BB na carteira, ou não acreditar que as ações vão se valorizar, nem deve se preocupar com os bônus.

É evidente que o detentor dos bônus pode se beneficiar de duas formas:

  1. Se a inflação for baixa, o preço de exercício será pouco diferente do de hoje
  2. Se a ação disparar, o valor do bônus tende a subir. Subirá ainda mais ao chegar perto do período de exercício, pois o “desconto pelo tempo” tende a zero na data de subscrição.

Os cenários

Para o cálculo dos ganhos (ou perdas) para diferentes cenários, serão consideradas as seguintes premissas:

  • Variação do IGP-DI de 13/10/2010 a 31/03/2011 Serão considerados 1%, 2%, 4% e 8%.
  • Cotações em 31/03/2011 Serão consideradas as opções: R$ 25,00, R$ 30,00, R$ 34,85 (a de hoje), R$ 40,00 e R$ 50,00

Depois de calculados os ganhos/perdas da compra dos bônus, os resultados serão comparados com a compra pura e simples das ações.

OBS: No exercício dos bônus haverá um ajuste para incorporar a diluição pelas novas ações emitidas. Esse ajuste não será levado em consideração no estudo, pois o impacto é reduzido e será sentido tanto pelas novas ações quanto pelas antigas. Como um dos objetivos é comparar a compra dos bônus com a compra das ações diretamente, não há prejuízo ao contexto.

Se o investidor comprasse o bônus por R$ 72,500 em 13/10/2010 e exercesse seu direito em 31/03/2011 ele perderia em torno de 22% no caso das ações caírem a R$ 25,00. Porém, poderia ganhar algo como 55% no caso das ações se valorizarem a R$ 50,00.

O cálculo é simples, basta pegar o valor pago pelo bônus, R$ 72,50, somar ao preço de exercício, que é calculado acrescendo o IGP-DI aos R$ 27,74 referentes a setembro de 2010. Depois, compara-se esse valor com a multiplicação da cotação estimada por 3,131799 ações.

Mas e se o investidor comprasse as ações em vez de comprar os bônus?

A conta é ainda mais fácil, pois em 13/10/2010 ele teria pagado R$ 34,85 por cada ação ON do Banco do Brasil. Veja o ganho/perda:

Não precisa ser expert em finanças para perceber que EM TODOS OS CASOS DA HIPÓTESE, inclusive com inflação mais alta, a compra do bônus teria sido mais interessante do que a compra direta da ação.

Não existe almoço de graça, o que você perdeu nessa explicação?

Da forma como foi colocada a estratégia, parece dinheiro fácil, não é? Não tem como perder!

Mas não é nada disso. O investidor não tem APENAS 2 opções de investimento, tem inúmeras.

Se ele acredita que investir em ações do Banco do Brasil será melhor (ou semelhante) do que investir em ações da VALE, da Petrobras, do Itaú, do Bradesco, da Cemig, da Randon, da Usiminas etc., ou seja, se JÁ É a sua opção de investimento, e ainda, se o investidor desejar manter as ações até o vencimento, aí sim, nesse caso específico pode ser mais inteligente investir nos bônus.

Não existe MESMO almoço de graça. Nem na bolsa, nem em lugar algum…

Ler Post Completo | Make a Comment ( 7 so far )

Eletropaulo ELPL5 x ELPL6 / PETR3 x PETR4 – Dúvida de um leitor

Posted on 11/10/2010. Filed under: Finanças |

No último post sobre dividendos, um leitor levantou uma dúvida sobre a ELPL5 (Eletropaulo PNA). A movimentação da PNB (ELPL6) chega a R$ 24 milhões por dia e a PNB não gira mais que R$ 350 mil.

Em vez de responder diretamente a ele, escrevo essa pequena explicação sobre o tema.

No livro “O Mercado de Ações em 25 Episódios“, reservo um espaço para discussão sobre os motivos da diferença entre os preços das ações ON e PN.

Há casos em que há lógica, outros em que manda somente o mercado e ninguém sabe explicar ao certo o motivo da diferença.

Motivos para diferenças entre os preços de ON e PN

Normalmente são os seguintes:

  • Diferença no dividendo pago (em algumas empresas, 10% a mais para a PN)
  • Diferença elevada no free float (ações em circulação)
  • Diferença na liquidez (muitas vezes derivada do free float)
  • Prêmio pelo direito a voto (ON mais cara que PN)
  • Negociação mais relevante no exterior (VALE e PETR)

No caso da ELPL5, o motivo da baixa negociação parece claro. Veja aqui os dados da distribuição acionária.

A empresa tem 100.739.070 ações PN emitidas.

Em circulação (free float), tem:

  • 2.369.091 PNA (ELPL5)
  • 90.200.756 PNB (ELPL6)

Há 38 vezes mais PNB que PNA no mercado. Não há dúvidas de que o free float é responsável pela baixa liquidez. E com baixa liquidez o preço fica mais errático. Se um detentor de PNA quiser sair do papel e vender 200 mil reais, poderá forçar uma baixa acentuada na PNA. Isso dificilmente aconteceria com PNB, pois há negócio suficiente durante o dia para absorver pequenas forças vendedoras.

PETR3 x PETR4

Quando investiguei as diferenças de preço entre ON e PN para o “25 Episódios” entrei em contato com todos os departamentos de RI para ver se havia alguma explicação oficial para as diferenças.

A resposta de todos foi a mesma: Não há explicação. O mercado é que determina esses preços.

Uma das possíveis explicações para o valor mais apreciado da ON, no caso da Petrobras, era a força de sua negociação no exterior. Estrangeiros costumam encarar ações ON como “ações” e PN como “dívida”. É claro que não é dívida, mas para quem está acostumado só com ON…

Para muitos ainda vale a máxima “one share, one vote”.

Segundo o site do INI, a diferença entre PETR3 e PETR4 está em um dos menores níveis dos últimos anos (menos de 11% no fechamento do dia 11/10). Veja aqui.

Os estrangeiros participaram com muito menos que seu “share” original na capitalização (tinham quase 60% da empresa, entraram com 14%). Será que eles estão enxergando menos valor nas ações com direito a voto?

O governo passou a deter mais de 65% das ON, deixando pouco mais de 34% de free float.

Para os investidores de Petrobras ou para os que fazem estratégias long-short entre ON e PN (muito comum com Usiminas), é algo para ficar atento.

Mas lembre-se: o mercado manda. A diferença será sempre definida pelo embate “forças compradoras x forças vendedoras”.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Leituras para o final de semana. Dividendos, Petrobras, Humor e muito mais…

Posted on 08/10/2010. Filed under: Finanças, Humor |

Aos nobres leitores…

Para os amigos que têm o hábito de passar por nosso blog durante o final de semana, segue a sugestão de leituras por tema:

Dividendos e aposentadoria

Dividendos: Dados da Eletropaulo e da Light

Dividendos Histórico das Empresas Brasileiras

Dividendos e Juros Sobre Capital Próprio do Banestes (BEES3)

Aposentadoria com ações – Entrevista para TV Infomoney

Petrobras

Petrobras em Queda. Por quê?

Capitalização da Petrobras Lei de Bicks ou Lei de Schultz (humor)

Artigos

Como Escolher Uma Corretora para Começar a Investir em Ações?

Falta de Educação Financeira Pode Fazer Investidor Levar 4 Vezes mais Tempo para Alcançar a Riqueza

Bolha Imobiliária? O que a matemática tem a dizer sobre isso.

30 Análises de Empresas no blog do INI

 

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Esgotada primeira tiragem do livro “Quanto Custa Ficar Rico?”. Obrigado!

Posted on 08/10/2010. Filed under: Finanças |

Agradecimento!

Ontem, 07/10/2010, recebi de minha editora ontem a notícia de que a primeira tiragem do livro “Quanto Custa Ficar Rico?” já estava esgotada.

Estamos partindo para a segunda!

Agradeço aos muitos leitores que por aqui passam e aos que, de forma generosa, indicam o livro para amigos, parentes e conhecidos.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 4 so far )

Dividendos: Dados da Eletropaulo e da Light

Posted on 08/10/2010. Filed under: Finanças |

Fora da tabela

Na tabela com o histórico de dividendos das Cias Brasileiras, duas empresas muito conhecidas acabaram ficando de fora: Eletropaulo e Light.

Alguns investidores questionaram os motivos e quero estender a explicação a todos.

A tabela é meramente matemática e estatística. Os dados de origem e a metodologia de cálculo podem ser verificados nas pastas internas.

Ocorre que um primeiro filtro acabou por retirar as duas companhias. Era necessário ter distribuição de dividendos a partir de 2005. A Eletropaulo, no passado recente, começou a distribuir em 2006 e a Light em 2007.

Ambas, como ficará evidente nos PDFs abaixo, tinham resultados oscilantes, muitas vezes negativos, nos anos anteriores a 2006-2007.

De 2006-2007 para cá, verifica-se regularidade na política de dividendos.

Os dados de Eletropaulo e Light

O Instituto Nacional de Investidores – INI (www.ini.org.br) disponibiliza uma ferramenta para consulta de dados de cias abertas aos seus associados. O formato é adequado para o uso no método INI de seleção de ações. Um método fundamentalista baseado na aliança entre growth e value investing.

Os dados da Eletropaulo estão aqui e da Light aqui.

Há dados da controladora e dados consolidados de balanço e DRE, além de cotações ajustadas a proventos.

Fica aqui explicado o motivo de dois “hits” de dividendos terem ficado de fora.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Livro “Quanto Custa Ficar Rico?” no jornal O Globo

Posted on 08/10/2010. Filed under: Finanças |

 

A repórter Lucianne Carneiro, do jornal O Globo, deu um belo destaque ao livro “Quanto Custa Ficar Rico?” na última segunda-feira.

Numa reportagem sobre os gastos de fim de ano, apresentou dicas para economizar uma parte do décimo-terceiro e utilizou uma de nossas planilhas para indicar qual o patrimônio que se poderia chegar com essa economia.

Segue abaixo:

 

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Petrobras em Queda. Por quê?

Posted on 07/10/2010. Filed under: Finanças |

A única explicação que todos aceitam!

A Petrobras cai porque a força vendedora é maior do que a força compradora.

Sei que é uma obviedade, mas é bom começar pelo REAL motivo da queda. Mas o motivo da corrida às vendas, ah…, esse sempre é um pouco incerto.

O objetivo desse post não é “explicar” a queda, pois isso seria especulação pura, mas alertar os investidores para algumas premissas imprecisas que ainda permanecem no imaginário de muita gente no mercado.

É importante a leitura. Muito importante.

Esquecer de contabilizar a diluição

Está na mente das pessoas aquela PETR4 acima de R$ 50,00. É muito comum as pessoas pensarem: – Poxa, a ação está valendo metade do que valia, está muito barata!

É um erro perigoso. A Petrobras que chegou a R$ 50,00 tinha 8,77 bilhões de ações. Em setembro, com a PN acima de R$ 27,00, a empresa tinha um Valor de Mercado de R$ 260 bilhões.

Se utilizarmos o maior lucro da história da Companhia (R$ 32,47 bi), isso daria um P/L de 8,01. Que está abaixo de seus pares internacionais, que oscilavam entre 10 e 12 em setembro de 2010.

A empresa, em 05/10, tinha 12,86 bilhões de ações. Ao preço de abertura, o valor de mercado chegaria a R$ 360 bilhões de reais. Utilizando o mesmo lucro máximo, o P/L estaria em 11,1, em linha com o de seus pares internacionais.

Dividendos dependem do P/L

No livro “O Mercado de Ações em 25 Episódios”, sugiro uma forma diferente de ver o DY (dividend yield).

A fórmula é simples, o DY é igual ao inverso do P/L vezes a taxa de payout. Isso significa que, quanto maior o P/L, menor o retorno com dividendos (considerando o mesmo payout).

Supondo para a Petrobras um payout de 35% do lucro, antes o DY esperado poderia ser = 1/8 * 35% = 4,38%.

Com o P/L atual = 1/11,1 * 35% = 3,15%

Aportaram R$ 120 bilhões da companhia

Sim, mas em dinheiro sobraram R$ 45 bilhões do aporte total. Os outros 75 bilhões entram no Ativo como um direito comprado pela companhia.

Os 120 bilhões ajudarão a empresa na busca de recursos via endividamento. Os 45 bilhões ajudarão nos projetos atuais da companhia, pois estão disponíveis no caixa.

Volatilidade dos ativos vendidos à empresa

Boa parte do novo patrimônio líquido da companhia foi integralizado via Cessão Onerosa dos 5 bilhões de barris. Isso equivale a R$ 74,808 bilhões do novo PL.

Pela regra atual (IFRS) o patrimônio da empresa precisa ser registrado a preço de mercado. Ativos não negociados em mercado como marca, ágio, alguns direitos etc. e, portanto, como preço estimado, precisam ser reavaliados de tempos em tempos para refletir seu “fair value”.

OBS: No livro “25 Episódios” explico como a Alcacel-Lucent conseguia registrar prejuízos trimestrais MAIORES do que o seu valor de mercado. Foi baixa de um ágio (goodwill) no montante pago pela Alcatel na compra da Lucent.

Os barris só serão contabilizados como reservas, segundo a teleconferência com o presidente Gabrielli, a partir de 2015. Até lá esses direitos poderão oscilar de acordo com as perspectivas do mercado.

Qualquer ajuste promoverá modificação no patrimônio líquido e no ativo, alterando os índices de endividamento.

Se o petróleo voltar a 150 dólares, é possível que a consultoria avalie essas reservas em mais do que R$ 74,8 bi. Mas se permanecer em 80 dólares, ou cair, pode ser que tenha que se ajustar o ativo para baixo.

Outros itens

Quanto aos outros itens, tais como: influência governamental, inexistência de tecnologia para exploração, incerteza sobre custos entre outros, não há muito o que dizer. Ou envolvem elevada subjetividade ou exercício de futurologia.

Mas os itens anteriores não são subjetivos, são fatos. E o investidor de Petrobras não pode ficar sem reconhecer essa nova realidade. Investidor consciente é aquele que encara sua participação na empresa como um verdadeiro acionista. Desenvolve intimidade com os números da companhia. Não esqueçamos isso!

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

« Entradas Anteriores
  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...