Forja Taurus no Clube Stratocaster

Posted on 09/09/2010. Filed under: Finanças |

Alguns comentários sobre a Forja Taurus (8% do patrimônio do clube).

Ramo de atuação

Nem todos sabem, mas a Forja Taurus não atua somente no segmento de Armas, apesar de ser o carro-chefe da empresa.

Outros itens de segurança como blindagens e capacetes, além da produção de máquinas e ferramentas especiais, representaram quase 34% do faturamento da companhia no 1S10.

O setor de armas, principalmente por conta das vendas aos EUA, ainda representa quase a totalidade das exportações e 66,5% das vendas totais.

Investir em empresas de armas???

Apenas um cotista reclamou da entrada da Taurus no portfólio, por questões de natureza moral/ética. Meu contraponto, apesar de respeitar muito as colocações do cotista, foi colocar que não há evidências, em nenhum país do mundo, que o volume de armas nas mãos da população esteja ligado ao crescimento da violência.

Aliás, o país com mais armas “per capita” no mundo é o Canadá. Que está longe de ser um lugar preocupado com índices de violência. Nos EUA, apesar do sensacionalismo de “Columbine”, é quase impossível achar algum Estado que tenha índices de violência semelhantes aos do Brasil. E absolutamente impossível achar algum Estado com os índices encontrados no Espírito Santo (100 homicídios/100 mil habitantes), ou na Venezuela (140 homicídios/100 mil habitantes).

Outro ponto que coloquei é que não poderia, como representante e fundador do clube, desistir de uma oportunidade de investimento por motivos controversos. Carros matam quase tanto quanto armas, alguém poderia argumentar que não deveríamos investir em Marcopolo ou Randon… Aliás, no RJ até bueiro da Light mata!!!!

Aliás, políticos corruptos matam mais do que tudo! Mas eu prometo que se o Senado e a Câmara abrirem o capital, jamais vou colocar um centavinho só do clube nos IPO´s…

Voltando à FJTA4

Quem tem ações há algum tempo conhece a política de dividendos/bonificações da FJTA. É corriqueiro, na assembléia que homologa os resultados do ano, a empresa declarar uma bonificação gratuita (10%-20%) e uma distribuição de lucro da ordem de 30%.

É muito semelhante à prática da Itaúsa.

As ações estão cotadas, hoje, a R$ 4,35.

O Valor Patrimonial das ações (1S10) está em R$ 3,28. P/VPA = 1,32

O P/L está um pouco prejudicado, pois incorpora um resultado muito fraco do 3T09. O LPA acumulado, incluindo esse trimestre fraco está em R$ 4,25, indicando um P/L levemente superior a 10. Nada assustador, a empresa já chegou a ter P/L 30 em 2007. Naquela época, nem Pensar. Ave Buffett, Ave Graham e Ave prof. Robert Shiller!

A manter o padrão de vendas e margens, a empresa poderia chegar a um Lucro de R$ 65 milhões (34 milhões no 1S10). Isso indicaria, caso ocorra, um LPA de R$ 0,51. Um P/L de 8,5 é confortável para uma small cap.

Reestruturação

Logo na Home Page de Companhia há informações sobre os entendimentos para substituição do presidente, possível entrada no Novo Mercado e emissão de ações.

Os principais acionistas PN (Previ e Geração Futuro) pressionam a companhia para deixar o passado “familiar” um pouco de lado e profissionalizar a FJTA.

Não parece ser para agora, algo para 2011, 2012.

Aliás, pelas recentes trocas de ações ON por PN da Randon, a empresa deve ir pelo mesmo caminho.

Melhores práticas de Governança Corporativa são sempre bem vindas!

O problema maior

Sem contar as considerações de cunho moral/ético, a questão mais complicada de investir em FJTA é a baixíssima liquidez. Se algum acionista com R$ 3 milhões em FJTA acorda desejando trocar de posição, pode escrever que a menina vai cair por alguns dias…

Uma reformulação no controle, permitindo voto a todos os acionistas, e uma emissão em torno de R$ 150 milhões (25% do valor de mercado) poderia melhorar a liquidez, o que permitiria a atuação de investidores maiores.

Vamos esperar. Mas não adianta ter pressa. Esse processo é demorado mesmo. O controlador tem 74 anos e trouxe a empresa praticamente do ZERO, a um faturamento bruto de quase R$ 1 bilhão.

O sujeito tem muitos méritos!

Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: