Quick Update – Brasil Ecodiesel 2T10

Posted on 13/08/2010. Filed under: Finanças |

Relatório completo no link a seguir

Release de Resultados Brasil Ecodiesel 2T10

Quick Update

Introdução

Há alguns posts anteriores sobre a Brasil Ecodiesel (ECOD) no blog. Para quem não conhece bem a companhia, vale procurar e dar uma olhadinha.

O release de resultados da ECOD é um dos mais simples e mais claros do mercado, até porque o negócio é menos complexo do que o da maioria das empresas, mais antigas e já consolidadas.

A empresa está ainda no início de seu processo de reestruturação, já resolveu vários problemas, principalmente o endividamento, mas ainda enfrenta situações delicadas com órgãos certificadores.

A ECOD antes da nova gestão era uma empresa sem sentido. O modelo de negócios era irracional e fazia a companhia trabalhar para perder dinheiro. O novo modelo é racional e está trazendo resultados compatíveis com períodos de readaptação.

A companhia ainda está muito longe de representar um ativo de bolsa consistente, com múltiplos normais e razoável previsibilidade. O preço de mercado da empresa está em R$ 620 milhões e o lucro ajustado do 2T10 está em quase R$ 4 milhões. A distância ainda é muito grande.

Os problemas já enfrentados

O endividamento da empresa está, ao que tudo indica, sob controle. A capitalização recente deixou o endividamento total em menos de 25% do ativo.

A administração tem sido rápida para reduzir (ou readequar) custos e racionalizar processos.

As margens estão positivas. A ECOD saiu de uma situação onde pagava para operar, para uma situação de lucro líquido real. Ainda pequeno, mas real.

Os custos de matéria prima caíram bastante e o preço do biodiesel subiu no período recente.

Os problemas a enfrentar

Mais uma vez o governo…

O Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA cassou o selo Combustível Social de duas das principais usinas da ECOD. Esse selo envolve algumas exigências que penalizam de forma irremediável a estrutura de custos e de processos das usinas.

A ECOD já revelou em releases anteriores que não foi possível manter a previsibilidade e a consistência de sua produção tendo que comprar 50% da matéria prima da Agricultura Familiar.

As exigências são menores em outras regiões do país. É possível que a ECOD expanda as usinas em locais onde a liberdade organizacional e logística seja maior.

A ECOD no clube a na bolsa

A ECOD tem preço de jujuba (R$ 0,86). Cada movimentação, para cima ou para baixo, representa ganhos ou perdas superiores a 1%.

Esse gap mínimo atrai sobremaneira os traders e os daytraders. Esse deve ser um dos motivos da empresa ser tão negociada.

Lembro que o BANESTES também já teve preço de chiclete. Havia muito mais liquidez nessa época. Depois que fez o grupamento, os traders perderam o interesse.

Naturalmente o objetivo do clube não é esse.

Ter ECOD significa acreditar em um negócio e em uma administração. O volume de produção de biodiesel deverá subir mais de 4 vezes nos próximos 5 anos, a acreditar nas promessas do governo de ampliar de 5% para 20% a mistura com o combustível fóssil.

A empresa talvez ainda leve entre 18 a 24 meses para oferecer sua verdadeira “cara” ao mercado. Ter todos os seus processos racionalizados, recuperar os selos onde for coerente, desativar o que não dá dinheiro, melhorar a matriz de matéria prima etc.

Um mercado que poderá crescer 4x e uma empresa com administração séria e focada, é essa a equação que nos faz ter 4,8% da carteira em ECOD. Nosso preço médio está em R$ 0,91, um pouco mais alto do que o preço atual, R$ 0,86.

Os riscos

O principal risco é o biodiesel não passar no teste da maturidade funcional. O Diesel fóssil já é amplamente conhecido, em suas vantagens e desvantagens, mas todos os veículos já estão preparados para elas. Há rumores de que o biodiesel traz alguns problemas para os motores.

Outro risco sério está no custo da matéria prima (soja). Hoje está em margens confortáveis, mas qualquer problema com a safra dos principais produtores pode mudar isso. A ECOD tem trabalhado para reduzir a exposição a essa volatilidade.

É importante que os investidores de ECOD tenham em mente que a administração atual está lá para fazer o que for melhor para os controladores. Se chegarem à conclusão de que o retorno não vale o investimento, podem tentar vender a companhia ou desinvestir.

Isso pode representar perdas (ou ganhos, no caso de venda) bem grandes. É muito perigos ter posições muito concentradas e elevadas em ECOD.

A boa notícia é que o Valor Patrimonial da Ação está em R$ 0,58, não muito distante do valor de mercado.

Mas não se pode esquecer que essa ação já chegou a valor R$ 12,00 e caiu para R$ 0,79.

Shit happens.

Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

3 Respostas to “Quick Update – Brasil Ecodiesel 2T10”

RSS Feed for Blog do Portinho Comments RSS Feed

[…] Para ler mais sobre os motivos, sugiro clicar aqui e aqui. […]

Olá Portinho:

Como v. justifica o Biodiesel?

1) Pela sustentabilidade social com 90% de materia prima baseada na soja? Não consigo ver empregos sendo gerados com a produção já eficiente e de larga escala dos grandes esmagadores.

2) Pela sustentabilidade ambiental quando somente a partir de 20% podemos ter ganho para a saude humana nas cidades? Acho que poucos sabem que apenas a eliminação de enxofre acima de 25% poderia trazer alguma redução nas enfermidades derivadas da combustão de diesel. Nosso enxofre é muito pior do que o americano e lá,m mistura só é considerada benéfica acima de 20%.

3) Pela sustentabilidade econômica se o preço do leilão não é fator sob controle daqueles que querem investir em novas tecnologias de produção e novas culturas e fontes de matéria prima? Parece mais ou menos como a Vale irá fazer… Investir na Biopalma sem poder saber qual preço terá para remunerar seu investimento “social”? sem saber até quando a Petrobras irá buscar o seu óleo (com selo social) no meio do Pará? O leilão vai definir preço baseado em dendê? Ou o preço máximo será baseado em alga? Ou o leilão vai acabar como muitos querem e ai ?????

Vejam, a Ecodiesel! Não tem fonte de matéria prima e até agora não entendeu o seu negócio que jamais me pareceria ser o de industrializar biodiesel mas sim outra coisa que não te conto!

Mas do outro lado do rio… Caramuru tá muito feliz!

Grande abraço

Parece que defender a administração não ajuda a resolver o imbróglio lógico desta empresa. O segundo maior acionista pode querer uma queda ainda mais dramática para assumir controle. Essa administração já tá mais para mamona do que para soja!

Caro Riccardo,

Não conheço com profundidade os bastidores da empresa. Lembro que houve muitos boatos sobre quem seriam os verdadeiros donos da companhia, com alusões inclusive a membros do governo brasileiro.

Após o fim do acordo de acionistas e das investidas de grandes credores sobre a administração anterior, houve uma mudança grande no foco da empresa.

Tenho outro post sobre a ECOD onde os administradores atuais condenam amplamente o modelo de uso de mamona com 90% proveniente da agricultura familiar.

Nós temos pouco mais de R$ 9.000 em ECOD e compramos a algo como R$ 0,90. Os primeiros investidores compraram a sua parte na empresa a R$ 12,00 ou mais.

Nos últimos tempos, muitos desses credores converteram suas dívidas em ações. Basta ler os fatos relevantes de 2009.

Quando isso ocorre, indica que é a última forma que os credores têm para reduzir seus prejuízos. Como tiveram que baixar a dívida contabilmente (prejuízo realizado) só lhes resta promover o crescimento da companhia para reaver uma parte dessas perdas.

Quanto à justificativa para o Biodiesel, não tenho. Ninguém pode ter certeza de que um combustível veio para ficar até que se passe muitos anos. Lembra do álcool? Em 1986 mais de 95% da produção nacional era de veículos à álcool. Depois foram quase extintos, menos de 1% da produção. Votaram agora por conta dos carros flex.

Não dá para saber se o biodiesel terá mesmo lugar de destaque na matriz energética do país. Isso só o tempo dirá.

Com esse quadro todo de riscos, é por isso que coloquei apenas 4,8% do clube nessa empresa e 3% de minha carteira. Acredito no negócio, não me surpreenderia se ganhasse 500% em 4 anos, mas também não me surpreenderia se perdesse 95% em um ano. Essa é a natureza do risco. Quanto maior, maior a possibilidade de ganho. Ou de perda.

Enquanto isso fico atento a todos os fatos relevantes. Até o momento, a comunicação que a ECOD tem feito com os acionistas me parece bem clara e a tempo.

Agradeço pelo comentário,
Forte abraço.
Ps. se tiver mais informações sobre a empresa, ficaria feliz se compartilhasse conosco.


Where's The Comment Form?

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: