Lucro da PDVSA. A realidade cobra seu preço.

Posted on 22/02/2008. Filed under: Finanças, Humor, Política |

É amigos,
 
O que acontece se você é incompetente durante muito tempo? Bom, a realidade acaba por cobrar seu preço.
 
O Coronel Hugo Chávez trata a Petroleos de Venezuela SA (PDVSA) como fonte de recursos para financiar sua revolução bolivariana. Isso é notório e afirmado pelo próprio Hugo Chávez. Não é invenção de quem não gosta dele, é algo do qual ele, até, se orgulha.
 
Pois bem, nossas irmãos sul-americanos vêm passando por severos transtornos de desabastecimento, falta de perspectivas econômicas, fuga de capitais, fuga (expulsão) de investimentos estrangeiros e liberdade de expressão duvidosa.
 
Infelizmente a situação tende a ficar pior.
 
Como sabem, a Venezuela produz muito pouco do que consome e necessita de reservas em dólar para garantir o trade com outros países, para abastecê-la de bens primários. Quem garante esses dólares é a PDVSA, com suas substanciais exportações de petróleo.
 
Acaba de sair na Bloomberg:
O lucro da PDVSA do primeiro semestre de 2007 (acreditem, eles ainda estão divulgando o primeiro semestre de 2007) caiu 69% e as receitas quase 20%. Mesmo com o petróleo batendo todos os recordes de preço desde 2007.
Leiam vocês mesmos:
http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=newsarchive&sid=aQC_L.WH6obs
 
Há algumas lições a tirar dessa história. A mais importante é que as práticas administrativas consagradas em livros e pela história, têm uma razão de ser. Têm motivos para serem consideradas de excelência e serem recomendadas aos alunos de faculdades, gestores de empresas e de governos.
 
Ninguém consegue renegar técnicas de gestão consagradas e, ainda, obter bons resultados administrativos por muito tempo. Senhores, lutar contra a realidade não é a melhor maneira de mudá-la, acreditem. Prefiram compreendê-la, entender seus métodos e estruturas para então, com mais propriedade, promover as mudanças.
 
A outra lição é que precisamos de medidas precisas de nossas atividades, para podermos melhorar. Os casos de Venezuela e Argentina são emblemáticos. Ambas estão crescendo a mais de 8% ao ano, durante 4 ou mais anos.
 
Pois bem, organismos independentes afirmam que os dados inflacionários daqueles países são “ajustados” de acordo com a conveniência política. Como o crescimento é real (acima da inflação), como saberemos que esses países REALMENTE estão crescendo, dado que a inflação divulgada chega a ser a metade do que a percebida pela população?
 
Se estamos errados e a Venezuela realmente veio crescendo 10% ao ano nos últimos 4 anos, por que a situação de desabastecimento e a queda nos lucros da maior empresas do país?
 
É isso aí pessoal. Não dá para ser exótico por muito tempo sem pagar o preço do exotismo.
Dúvidas?, perguntem à Baby Consuelo…
Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: