Coisas incompreensíveis I

Posted on 03/01/2008. Filed under: Finanças, Política |

Há algum tempo sugeri a retirada da CPFL de nossa carteira porque entendia que os riscos de apagão seriam crescentes e porque a ANEEL estava baixando das tarifas na ordem 18% para uma subsidiária da CPFL.

A CPFL é geradora e distribuidora. De um lado ela ganha, pois os preços da geração sobem, de outro ela perde, pois a ANEEL mandou reduzir as tarifas.

OBS. É a primeira vez, na história do capitalismo, que um bem escasso (energia) tem seu preço reduzido MESMO quando a demanda é absurdamente maior do que a oferta.

Pois bem, ontem e hoje há mais duas reportagens (transcrevo abaixo):

Reservatórios no NE caem abaixo do nível do apagão
Aneel propõe diminuição das tarifas de distribuição de Cemig e CPFL

A primeira, indica que, no NE, estamos em situação mais grave do que em 2001. A segunda indica que a conta de Luz dos que são atendidos pela CPFL ficará 18% menor.

Eu queria que meus amigos me explicassem:

  • Se há risco de não haver energia, por que estamos baixando as tarifas? Para estimular o consumo?
  • Se há risco de não haver energia, as vendas de energia (caríssima) no mercado futuro correm o risco de não serem cumpridas. Por que a festa com os preços altos que as distribuidoras estão obtendo no mercado livre?

Senhores, no mercado de ações é importante não pensar de forma sofisticada. Se tem rabo de jacaré, boca de jacaré, couro de jacaré, pode dispensar o exame de DNA, é jacaré. Fuja.

Eu não sei o que é pior para o mercado nesse momento, a ganância dos bancos estrangeiros ou a incompetência das agências reguladoras brasileiras.

E vamos nessa!

A seguir as reportagens:

Reservatórios no NE caem abaixo do nível do apagão

Por Humberto Medina, na Folha:
Com os níveis dos reservatórios das hidrelétricas do Nordeste mais baixos do que nos meses que antecederam ao racionamento (junho de 2001), a Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco) reduziu a vazão de água do rio São Francisco. O objetivo da medida é reter a água em Sobradinho (BA), hidrelétrica que tem o maior reservatório da região.
“Estamos com chuvas abaixo da média e adotando todas as medidas possíveis para economizar água”, afirma Mozart Bandeira Arnaud, diretor de operação da Chesf.
“A energia que não for gerada em Sobradinho será suprida com termelétricas ou com maior transferência de outras regiões”, afirmou. A redução da vazão foi autorizada pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) e pela ANA (Agência Nacional de Águas).
“É uma espécie de seguro hídrico para a região Nordeste”, disse Oscar Cordeiro Netto, diretor da ANA. Ele afirmou que, apesar de uma possível redução (de 10 a 15 centímetros) no leito do rio, não deverá haver problemas para os outros usuários. A medida havia sido pedida pelo Ministério de Minas e Energia no final de dezembro, mas só entrou em vigor depois de negociada com outras entidades.
No sábado, a Chesf reduziu de 1.300 m3 por segundo para 1.200 m3/s a vazão de água a partir de Sobradinho. No próximo sábado, haverá nova redução, e a vazão passará a ser de 1.100 m3/s. A Chesf está autorizada a manter a vazão reduzida até o final de abril, quanto termina o período chuvoso e começa o seco. Um m3 equivale a mil litros.

Aneel propõe diminuição das tarifas de distribuição de Cemig e CPFL

Por: Equipe InfoMoney
30/01/08 – 10h20
InfoMoney

SÃO PAULO – A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) propôs redução das tarifas de distribuição das concessionárias Cemig e CPFL, e virtude dos menors custos operacionais registrados pelas empresas.

Na interpretação da agência reguladora, os resultados obtidos pelas empresas em 2007, mais favoráveis que o projetado pelo órgão, abrem espaço para redução dos preços aos consumidores.

Para a Cemig, a redução proposta chega a 9,72%, enquanto para a CPFL a diminuição é maior, de 14,02%. Cabe ressaltar que estas medidas vêm em linha com as reduções propostas em 2007, como no caso das tarifas cobradas pela Eletropaulo, reduzidas em 12,66%.

Recomendação do Banif
O Banif projetava uma redução de 7% das tarifas de distribuição da Cemig. Mesmo assim, manteve sua recomendação de compra das ações da Cemig, em virtude da recente queda nos preços dos papéis e do equilíbrio entre receitas provenientes de geração e distribuição de energia elétrica.

Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: