O caminho da ruptura está claro

Publicado em 25/05/2010. Arquivado em: Política |

Em meus posts anteriores há links para um caderno especial da revista “Digesto Econômico” tratando da “Estratégia de dominação gramscista“.

Veja no link:
http://blogdoportinho.wordpress.com/2010/03/10/guia-para-a-leitura-do-resumo-do-livro-%e2%80%9ca-revolucao-gramscista-no-ocidente%e2%80%9d/

Pouca gente se importa com isso.

Mesmo aqui no blog, são poucos os que acreditam que o século XXI ainda abrigue, REALMENTE, seguidores de teóricos comunistas. Imaginam ser “teoria da conspiração” e coisas do gênero.

Da leitura do caderno supracitado extrai-se que há uma possibilidade de “ruptura” no modelo gramscista. Leiam o extrato a seguir:

“A concepção estratégica gramsciana não indica claramente a tática de ruptura no momento da crise orgânica e da tomada do poder. Subentende-se que esta vai depender das condições do instante histórico, da “correlação de forças” que “justifica uma atividade prática, uma iniciativa de vontade” e, em última análise, de uma decisão oportuna dos dirigentes do Partido. Entretanto, Gramsci indica, discretamente e com aparência de generalização, que a tomada do poder deverá ser um ato de força.

Para o instante em que a “situação culmina e se resolve efetivamente, ou seja, torna-se história” (momento da ruptura) o braço político e o braço armado do Partido têm que estar muito bem preparados para serem empregados no “momento favorável”.”

Há algumas semanas, em reunião com amigos e profundos conhecedores da teoria gramscista e da história do comunismo internacional, externei uma preocupação pessoal, que resumo a seguir.

A estratégia de crise orgânica, proposta abertamente por Gramsci como instrumento de tomada do poder, pode ser seguida por um fato que provoque a ruptura e permita aos aparelhos de dominação atuar fora da lei.

Eu entendo que as afrontas à lei eleitoral promovidas pelo presidente e sua candidata podem significar o estopim para a ruptura. Explico.

O deliberado abuso de poder econômico e político, além da reiteradas transgressões às regras legais e éticas de uma disputa política podem acabar levando o ministério público eleitoral a cassar a candidatura da situação.

E isso, parece-me, pode significar motivo suficiente para a explicitação dos objetivos inconfessáveis de alguns membros do governo.

Ao ler hoje no blog do Noblat um post onde ele revela seu repúdio ao trabalho de Paulo Henrique Amorim, no blog Conversa Afiada, ficou mais evidente que a estratégia de estressar ao máximo o TSE e o ministério público eleitoral tem 2 objetivos básicos:

1- Mostrar que o TSE pouco pode contra um presidente com elevada popularidade e exagerado culto à personalidade.

OU

2- Ter a candidatura cassada e dar motivos à exacerbação dos “movimentos sociais”.

Termino sugerindo que leiam o post do Noblat, que reproduzo a seguir, é extremamente didático. Talvez faça com que alguns dos leitores do blog comecem a entender que nem sempre estamos cercados por pessoas de bem.

Sobre um blogueiro ordinário

Sob o título “Noblat e o golpe contra Dilma. Só falta o TSE tomar coragem”, o blog “Conversa Fiada”, do jornalista Paulo Henrique Amorim, transcreve notícia que eu havia transcrito da Folha de S. Paulo e publicado aqui mais cedo, e também o comentário que fiz a respeito.

A notícia:

Abusos ameaçam eleição de Dilma, diz procuradora

Sérgio Torres:

A candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência caminha para ter problemas já no registro e, se eleita, na sua diplomação.

A afirmação é da procuradora da República e vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, que avalia que esses problemas podem surgir se casos de desrespeito à legislação eleitoral continuarem na pré-campanha.

Cureau diz haver uma quantidade imensa de coisas na pré-campanha de Dilma que podem ser interpretadas como abusos de poder econômico e político.

O Ministério Público Eleitoral está reunindo informações sobre os eventos dos quais a ex-ministra tem participado para pedir ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a abertura de uma Aije (Ação de Investigação Judicial-Eleitoral) por abuso de poder econômico e político.

Em tese, a Aije poderá resultar na negação do registro ou no cancelamento da diplomação pela Justiça Eleitoral, como já falou, há dez dias, o ministro Marco Aurélio Mello, do TSE.

O comentário que fiz:

Há abusos suficientes para ameaçar o registro da candidatura de Dilma, admitem dois ministros do Tribunal Superior Eleitoral ouvidos por este blog. Mas falta ao tribunal coragem para tomar qualquer medida mais drástica a esse respeito.

Sobre um blogueiro ordinário

Sob o título “Noblat e o golpe contra Dilma. Só falta o TSE tomar coragem”, o blog “Conversa Fiada”, do jornalista Paulo Henrique Amorim, transcreve notícia que eu havia transcrito da Folha de S. Paulo e publicado aqui mais cedo, e também o comentário que fiz a respeito. A notícia:

 Abusos ameaçam eleição de Dilma, diz procuradora

 Sérgio Torres:

A candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência caminha para ter problemas já no registro e, se eleita, na sua diplomação.

A afirmação é da procuradora da República e vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, que avalia que esses problemas podem surgir se casos de desrespeito à legislação eleitoral continuarem na pré-campanha.

Cureau diz haver “uma quantidade imensa de coisas” na pré-campanha de Dilma que podem ser interpretadas como abusos de poder econômico e político.

O Ministério Público Eleitoral está reunindo informações sobre os eventos dos quais a ex-ministra tem participado para pedir ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a abertura de uma Aije (Ação de Investigação Judicial-Eleitoral) por abuso de poder econômico e político.

Em tese, a Aije poderá resultar na negação do registro ou no cancelamento da diplomação pela Justiça Eleitoral, como já falou, há dez dias, o ministro Marco Aurélio Mello, do TSE.

 O comentário que fiz:

 Há abusos suficientes para ameaçar o registro da candidatura de Dilma, admitem dois ministros do Tribunal Superior Eleitoral ouvidos por este blog. Mas falta ao tribunal coragem para tomar qualquer medida mais drástica a esse respeito.

O que me chamou a atenção no “Conversa Fiada” foram comentários ali postados a propósito do que escrevi. Eles dão a medida do grau de irresponsabilidade do titular do blog, de sua parceria com gente insana, e por extensão do seu comportamento insano.

Alguns dos comentários:

• Pereira
25 de maio de 2010 às 12:33
Estou com uma pequena poupança para o futuro de meus filhos, mas vai ser obrigado comprar um AK-47, e os 6 meses que passei no exercito será utíl agora para trenar o mst e outros movimentos sociais, estou feliz vamos a revanche de 1964, e o primeiro tiro será na cara do no noblat, e em seguida em seus patrões, comprar armas esta facíl agora é logo ali no vizinho Paraguai, já estou começando a mobilização, em fim uma guerra cívil para acertar as contas pasadas.

• Digger
25 de maio de 2010 às 13:00
Esse Noblat, é um dos representantes do PIG federento e inescrupuloso. Ele tenta se passar, por um jornalista democrático, quando na verdade ele é a antítese de um democrata. Um sujeito cerceador da liberdade de expressão e opinião. Eles que não se atrevam numa tentativa golpista, porque vai escorrer muito sangue pelo solo de nossa pátria chamada Brasil. Que estes golpistas não sejam insanos de cometerem esta loucura.

• william lopes guerra
25 de maio de 2010 às 11:49
Sugestão: Vamos enviar milhares e milhares de e-mails ao Noblat lhe fazendo a seguinte indagação: “-Por que queres impedir a eleição de Dilma?” Ou telefonar para o celular, para o telefone fixo, ou cartas para a sua residência: milhares! Com a pergunta encimada.

Penso, às vezes, que o moderador do meu blog exerce com excessivo rigor a sua tarefa. Depois que leio comentários como esses acima postados em outros blogs, concluo que não. Que ele está certo.Quem tem um blog se torna responsável também pelo que deixa postado no espaço dos comentários. A esmagadora maioria dos comentaristas usa apelidos ou se vale de nomes falsos.O anonimato estimula ciom frequência as manifestações mais torpes – por vezes criminosas. Elas não podem ser toleradas sob a desculpa de que é livre a manifestação de pensamento.É livre para quem se sujeita à lei e assume as consequências pelo que escreve. 

About these ads

Make a Comment

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Disclaimer

    Este blog é um ambiente privado para expor opiniões, estudos, reflexões e comentários sobre assuntos ligados a finanças, bolsa de valores, economia, política, música, humor e outros temas.

    Seus objetivos são educacionais ou recreativos, não configurando sob nenhuma hipótese recomendação de investimento.

    O investidor consciente deve tomar decisões com base em suas próprias crenças e premissas. Tudo que lê ou ouve pode ser levado em consideração, mas a decisão de investimento é sempre pessoal. Tanto na escolha de ações para carteira própria, quanto na escolha de gestores profissionais para terceirização da gestão.

    O Autor espera que os temas educacionais do blog possam ajudar no desenvolvimento e no entendimento das nuances do mercado de ações, mas reitera que a responsabilidade pela decisão de investimento é sempre do próprio investidor.

    Sejam bem vindos!

  • Paulo Portinho

    PAULO PORTINHO, engenheiro com mestrado em administração de empresas pela PUC-Rio, é autor do Manual Técnico sobre o Método INI de Investimento em Ações, do livro "O Mercado de Ações em 25 Episódios" e do livro "Quanto Custa Ficar Rico?", os dois últimos pela editora Campus Elsevier.

    Paulo atuou como professor na Pós-graduação de Gestão Social da Universidade Castelo Branco e na Pós-graduação oferecida pela ANBIMA de Capacitação para o Mercado Financeiro.

    Atuou como professor da área de finanças e marketing na Universidade Castelo Branco e no curso de formação de agentes autônomos do SINDICOR.

    Como executivo do Instituto Nacional de Investidores - INI (www.ini.org.br) entre 2003 e 2012, ministrou mais de 500 palestras e cursos sobre o mercado de ações, sendo responsável pelo desenvolvimento do curso sobre o Método INI de Investimento em Ações, conteúdo que havia chegado a mais de 15.000 investidores em todo o país, até o ano de 2012.

    Representou o INI nas reuniões conjuntas de conselho da Federação Mundial de Investidores (www.wfic.org) e da Euroshareholders (www.euroshareholders.org), organizações que congregam quase 1 milhão de investidores em 22 países.

    Atuou como articulista do Informativo do INI, do Blog do INI, da revista Razão de Investir, da revista Investmais, do Jornal Corporativo e do site acionista.com.br. Foi fonte regular para assuntos de educação financeira de veículos como Conta Corrente (Globo News), Infomoney, Programa Sem Censura, Folha de São Paulo, Jornal O Globo, entre outros.

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 590 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: